Quem Somos

Lubélia Pegado - Director

Na educação biomédica toda a ênfase foi mantida no conhecimento e na aquisição de competências técnicas. Essa aquisição de conhecimentos ocorre maioritariamente através de um sistema de ensino tradicional, em que as capacidades técnicas são adquiridas através da prática, por tentativa-erro. Inevitavelmente, levanta-se a questão da segurança do doente e têm sido procuradas alternativas que complementem as suas lacunas.

A simulação permite a representação de situações clínicas, com o objetivo de melhorar, testar ou avaliar o conhecimento dos sistemas e ações humanas. A aprendizagem interativa, permite o treino das componentes teórica, técnica e comportamental (capacidade de avaliação clínica, liderança, decisão e comunicação), sem colocar em risco o paciente. Por associar a vertente emotiva ao processo de retenção cognitiva, a simulação possibilita uma melhoria na curva de aprendizagem com aumento do período de retenção.

Baseado nestes princípios, o Centro de Simulação Biomédica de Coimbra (CSB), centro de referência nacional, disponibiliza uma forma de ensino com simulação de alta fidelidade, facilitando a aquisição de conhecimentos e competências a várias classes profissionais. Os nossos formadores, certificados por entidades reconhecidas internacionalmente, são facilitadores da aprendizagem, permitindo um ensino de excelência e garantindo a aquisição dos objetivos formativos.

Queremos, com todo o entusiasmo, inovação e competência que nos caracteriza, disponibilizar os recursos do CSB a todos os profissionais. Convidamos todos os interessados a integrarem este projeto e a tornarem cada vez mais real esta nossa vontade de dar um passo em frente na melhoria da qualidade dos cuidados de saúde e da segurança do doente.

Esperamos por vós!

Lubélia Pegado

Director do Centro de Simulação Biomédica
Director do Serviço de Anestesiologia dos HUC

Francisco Matos e Mafalda Martins - Coordenação

A simulação biomédica é um recurso pedagógico inovador e compreensivo que visa a aplicação de princípios éticos e de segurança à educação e prática médicas. Caracteriza-se pela representação e interpretação de casos clínicos com o objetivo de aperfeiçoar, investigar ou avaliar o desempenho das equipas médicas em situações críticas. O realismo do caso simulado reproduz a envolvência multidisciplinar e organizacional do ambiente clínico. O impacto emocional deste treino integrado traduz-se na melhoria do tempo de aquisição e retenção das competências clínicas – técnicas e comportamentais – com repercussão positiva na confiança, eficácia e eficiência das equipas médicas.

Recorrendo à simulação biomédica, queremos desenvolver e impulsionar programas de educação biomédica que promovam a segurança do doente e a excelência dos cuidados clínicos. Confiamos numa política de abertura, partilha de conhecimento e experiência. Assumimos este compromisso com a afiliação às maiores sociedades internacionais de simulação clínica e pelo desenvolvimento de parcerias construtivas com sociedades nacionais, que contribuam para a definição e implementação de estratégias nacionais de aplicação da simulação ao ensino biomédico.

Contamos com o vosso empenho e entusiasmo neste caminho!

Francisco Matos e Mafalda Martins

Coordenação do Centro de Simulação Biomédica

 

António Augusto Martins - Coordenador ( 2009-2017 )

A simulação médica - definida como a representação de situações clínicas com o objectivo de treinar, testar e avaliar ou aumentar o conhecimento dos sistemas e acções humanas – resulta de uma tendência para a educação médica por aprendizagem interactiva.

O desenvolvimento da simulação médica vem possibilitando o treino e avaliação das componentes teórica, técnica e comportamental sem colocar em risco o paciente.

A actividade desenvolvida no Centro de Simulação Biomédica de Coimbra, desde a sua inauguração oficial em 8 de Dezembro de 2008, tem decorrido de forma regular. Os cursos ministrados envolvem a a aprendizagem com simuladores de baixa e alta-fidelidade ou modelos adequados ao treino de competências técnicas (acessos vasculares, manobras obstétricas, via aérea, etc.).

Os cenários desenvolvidos podem ser orientados com objectivos pedagógicos e educacionais diversos na área do treino de equipa e no desenvolvimento de competências não-técnicas (capacidade de avaliação clínica, liderança, decisão e comunicação).

As equipas por serem multidisciplinares proporcionam formas de aprendizagem por processos interactivos em ambiente controlado e seguro e diferentes do ensino dito "clássico".

As possibilidades do treino em simulação, pode afirmar-se, são quase inesgotáveis e adaptáveis aos objectivos que cada profissional ou grupo manifeste em determinada área de interesse.

O Centro de Coimbra é um local aberto à participação de todos.

O convite está feito.

António Augusto Martins

 

Nuno Freitas - Coordenador ( 2008-2009 )

A simulação médica constitui um dos mais promissores e inovadores domínios científicos a nível mundial, ao permitir, com a actual evolução técnica, a conjugação plena de arquitectura e tecnologias de informação e robótica com a Medicina e os cuidados de saúde. Fundamentalmente, destaca-se pela capacidade de alterar processos formativos e de actuação prática em áreas críticas dos cuidados de saúde e de organização das equipas e unidades de saúde. É uma verdadeira revolução no ensino médico e no treino dos profissionais e das equipas de saúde, como se comprova na literatura médica de referência e pela explosão internacional de centros dedicados à simulação médica*. 

Trata-se de uma resposta inovadora e competente para problemas sensíveis de erro médico e de formação e treino individual e de equipas de cuidados de saúde, nomeadamente em eventos críticos, complexos ou raros. A capacidade de, num ambiente controlado, repetível e aferível, reproduzir e amplificar – de modo inteiramente interactivo e em tempo real – gestos, procedimentos e actos médicos perante diferentes estados fisiológicos e patológicos, com fidedignidade humana e sem risco para os doentes, constitui uma poderosa ferramenta de educação médica contínua e de aprendizagem experiencial. 

O Centro de Simulação Biomédica de Coimbra, localizado nos Blocos de Celas dos Hospitais da Universidade de Coimbra, foi projectado para oferecer uma experiência compreensiva e imersiva, disponibilizando simuladores de baixa, média e alta fidelidade para todos os tipos de casos e cenários de saúde como salas de urgência e emergência, blocos operatórios, enfermarias, consultas ou ainda unidades específicas como obstetrícia, trauma ou cuidados críticos. Proporciona aplicações para múltiplas actividades formativas pré-graduadas dirigidas a estudantes de medicina e enfermagem e bem assim recursos tecnológicos sofisticados para várias especialidades médicas, como no caso da cirurgia laparoscópica ou da emergência médica polivalente. Assente numa equipa educativa multidisciplinar devidamente credenciada será possível aceder a todas as modalidades de simulação médica internacionalmente validadas. 

Com uma dupla missão formativa e de investigação este Centro de Simulação Biomédica contou exclusivamente com o apoio financeiro de instituições de referência como a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação EDP e a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, num projecto que visa a melhoria da prestação de cuidados médicos e de saúde com consequência no outcome dos doentes e correspondente criação de valor para a comunidade.

Nuno Freitas

 

O Problema

Identificaram-se 3 áreas problemáticas principais nos cuidados críticos de saúde:

A segurança do Doente

Todo o acto médico envolve riscos e possibilidades de erro. Os factores humanos são responsáveis por 70 a 80% dos erros em saúde, de acordo com a literatura médica internacional.

A formação e o treino de equipas

Além de competências individuais, os cuidados críticos de saúde dependem grandemente da actuação oportuna de equipas de saúde que não possuem um esquema de formação contínua nem treinam em conjunto gestos e procedimentos clínicos ou capacidades não-técnicas.

A experiência nos doentes e os eventos raros e complexos

O treino nos Doentes não é ético e impossibilita a experiência de eventos raros e complexos geralmente associados a um incremento significativo da morbilidade e mortalidade.

 

A Ideia

Concebeu-se um centro educativo e de investigação que alia as melhores tecnologias médicas e educativas disponíveis com boas práticas de saúde através da simulação médica – criou-se assim o primeiro centro compreensivo de simulação biomédica num hospital público e universitário português.

 

O Projecto

Durante cerca de 18 meses (desde Junho de 2007), por iniciativa do Serviço de Anestesiologia dos HUC, desenvolve-se o projecto assente em 5 princípios essenciais:

  • Um Centro destinado a estudantes, profissionais e equipas de saúde, em especial de cuidados críticos de saúde, com fins exclusivamente educacionais e de investigação científica.
  • Um Centro multidisciplinar, de âmbito nacional, que congregue actividades formativas e investigacionais de simulação médica nos vários domínios dos cuidados de saúde.
  • Um Centro formativo de competências e capacidades individuais e de equipas, com destaque para a aplicação de boas práticas e melhores tecnologias nos cuidados de saúde, em especial nos contextos de urgência e emergência médicas.
  • Um Centro assente na experimentação ética sem risco para os doentes e visando suscitar maior confiança e segurança dos doentes na prática assistencial.
  • Um Centro aberto à sociedade – nasce da sociedade e destina-se à sociedade –, inovador e de vanguarda educacional, capaz de melhorar o standard assistencial e o outcome dos doentes, gerando valor social para a comunidade.
  • Uma equipa médica liderou todo o processo formativo, educativo, administrativo, económico-financeiro e organizacional neste período de 18 meses, em horário extra-laboral. Actualmente, o Centro tem 12 Instrutores credenciados por entidades europeias e americanas em simulação médica e clínica, detém instalações remodeladas, adquiriu os equipamentos nucleares e realizou o primeiro curso em 22 de Novembro de 2008, com óptimo resultado.

Missão

Desenvolvimento intensivo e experiencial da formação e treino de estudantes, profissionais e equipas de saúde, em especial de cuidados críticos de saúde, garantindo maior segurança e melhor outcome aos doentes e fomento da investigação científica interdisciplinar, em redes e parcerias nacionais e internacionais, gerando valor social e ganhos de saúde para a comunidade.

Estrutura Executiva

Director

Lubélia Pegado, Dr.ª

Coordenação

Francisco Matos, Dr.

Mafalda Martins, Dr.ª

Supervisor Técnico

Ricardo Murta Jorge

Secretariado

Clara Horta

Instrutores Principais

  • Arsénio Santos, Dr.
  • Cláudia Alves, Dr.ª
  • Cláudia Loureiro, Dr.ª
  • Conceição Martins, Dr.ª
  • Elsa Nunes, Dr.ª
  • Fernando Jorge, Dr.•
  • Isabel Santos Silva, Dr.ª
  • Isabel Tourais, Dr.ª
  • João Bonifácio, Dr.
  • João Sargento, Dr.
  • Joana Carvalhas, Drª
  • Joana Cortesão, Dr.ª
  • Joana de Jesus, Dr.ª
  • Jorge Leitão,Dr.
  • Luciane Pereira, Dr.ª
  • Margarida Pereira, Dr.ª
  • Paulo Martins, Dr.
  • Raquel Cabral, Dr.ª
  • Rita Borges, Dr.ª
  • Rui Pina, Dr.
  • Sara Freitas, Dr.ª
  • Sofia Marques, Dr.ª

Conselho de Fundadores

Agrega as entidades parceiras do Centro de Simulação Biomédica dos HUC e tem funções de aconselhamento e planeamento estratégico, científico e técnico.

Fundamentos

A simulação médica constitui um dos mais promissores e inovadores domínios científicos a nível mundial, ao permitir, com a actual evolução técnica, a conjugação plena de arquitectura e tecnologias de informação e robótica com a Medicina e os cuidados de saúde. Fundamentalmente, destaca-se pela capacidade de alterar processos formativos e de actuação prática em áreas críticas dos cuidados de saúde e de organização das equipas e unidades de saúde. É uma verdadeira revolução no ensino médico e no treino dos profissionais e das equipas de saúde, como se comprova na literatura médica de referência e pela explosão internacional de centros dedicados à simulação médica*.

Trata-se de uma resposta inovadora e competente para problemas sensíveis de erro médico e de formação e treino individual e de equipas de cuidados de saúde, nomeadamente em eventos críticos, complexos ou raros. A capacidade de, num ambiente controlado, repetível e aferível, reproduzir e amplificar – de modo inteiramente interactivo e em tempo real – gestos, procedimentos e actos médicos perante diferentes estados fisiológicos e patológicos, com fidedignidade humana e sem risco para os doentes, constitui uma poderosa ferramenta de educação médica contínua e de aprendizagem experiencial.

 

Perfil do CSB HUC

Criado num Hospital Público Universitário, o Centro de Simulação Biomédica dos HUC demonstra o potencial de conhecimento e inovação presente no Serviço Nacional de Saúde e nos seus profissionais, tendo enfrentado com sucesso desafios de gestão, liderança, oportunidade, crédito científico e resiliência.

Contribuir para maior segurança dos Doentes e melhor qualidade assistencial nos cuidados críticos de saúde com impacto positivo na confiança pública e na formação contínua dos profissionais e equipas de saúde:

  • Nos próximos 3 anos, este Centro pretende colaborar directamente na formação de 750 estudantes de medicina, 2000 médicos e 1500 enfermeiros, nomeadamente em acções de educação médica contínua, certificação de competências e treino de equipas.
  • O Centro vai ainda ser o motor de acções públicas de boas práticas em saúde, nomeadamente através de programas e produtos formativos de suporte básico de vida para públicos escolares esperando atingir um universo de dezenas de milhares de estudantes de todo o País.
  • Os projectos de investigação científica na área clínica, educacional e biomédica e projectos educativos pontuais com as Forças Armadas e outras entidades na área da emergência e protecção civil, são linhas de acção de enorme significado e valor social.

APOIOS E PARCEIROS

O enlace com a sociedade civil é uma marca de nascença e um traço indelével deste Centro de Simulação Biomédica dos HUC. Com um investimento superior a 600.000 euros, foi totalmente financiado por instituições de reconhecido mérito social, científico e empresarial através de donativos aos Hospitais da Universidade de Coimbra para este exclusivo fim.

Sublinham-se ainda o apoio científico da Sociedade Europeia de Simulação Aplicada à Medicina (SESAM) e as parcerias activas com vários centros internacionais de referência neste domínio, com destaque para o Harvard Center for Medical Simulation (Boston, EUA).

  • Fundação Calouste Gulbenkian
  • Fundação Bissaya Barreto
  • Fundação EDP
  • Fundação Luso-Americana
  • PT Inovação
  • Fundação Portugal Telecom
  • REN
  • GASIN
 
NEWSLETTER

Subscreva a nossa newsletter e receba as notícias actualizadas do Centro de Simulação Biomédica.

 

Fechar